sexta-feira, 17 de junho de 2011

2001 – Donnie Darko (Donnie Darko)



Sinopse: Donnie Darko é o típico adolescente perturbado de classe média. Após escapar por pouco da morte por ter ouvido um coelho do tamanho de um homem adulto, Donnie é convencido por este mesmo coelho, de aparência perturbadora, a criar o caos. O filme é um quebra-cabeça temporal, e pode ser interpretado sob diferentes formas.

Diretor: Richard Kelly
Roteiro: Richard Kelly
Gênero: Drama/Ficção Científica/Romance
Origem: Estados Unidos da América
Duração: 113 minutos

Elenco:

Jake Gyllenhaal (Donnie Darko)
Maggie Gyllenhaal (Elizabeth Darko)
Holmes Osborne (Eddie Darko)
Daveigh Chase (Samantha Darko)
Mary McDonnell (Rose Darko)
James Duval (Frank)
Athur Taxier (Dr. Fisher)
Patrick Swayze (Jim Cunningham)
Beth Grant (Kitty Farmer)
Drew Barrymore (Karen Pomeroy)
Jena Malone (Gretchen Ross)
Katharine Ross (Dr. Lilian Thurman)
Seth Rogen (Ricky Danforth)
Noah Wyle (Professor Kenneth Monnitoff)
Ashley Tisdale (Kim)

Trailer:


Comentário:

Instigante, profundo e intenso. A esquizofrenia no seu auge.

Donnie Darko é um daqueles filmes que surpreende no final, ou seja, geralmente são um tanto quanto bem aceitos pelos que o assistem. Entretanto, este filme não é mero entretenimento, tem conteúdo e embora seja um tanto quanto louco, é um tanto quanto inteligente.

Ambientado em 1988, o filme conta a história de um garoto rebelde, Donnie Darko (Jake Gyllenhaal) que sob efeito de remédios contra alucinações começa a receber ordens de Frank, um coelho gigante. Suas ordens? Matar, queimar, destruir, inundar, entre outras coisas. Donnie frequenta uma psicóloga, embora seus métodos não sejam os mais convencionais nem os mais produtivos.

 Frank conta a Donnie que o mundo acabará em 28 dias, 6 horas, 42 minutos e 12 segundos, o que por coincidência acaba sendo o dia 30 de outubro, Halloween. Então, Donnie começa a ver e ouvir Frank frequentemente e seus medos começam a desaparecer quando sob influencia de Frank. Donnie fala o que pensa, não tem medo de ir contra as pessoas e muito menos de fazer o que lhe foi ordenado.

A cada minuto, o filme apresenta novas surpresas. Peças que se encaixam, novas peças a serem encaixadas e peças antigas, já encaixadas começam a fazer sentido. Nomes, apelidos, sobrenomes se juntam e uma idéia acaba por completar a outra. Vontades e desejos fora do comum são compartilhados por pessoas diferentes, entretanto seus destinos são iguais.

A trilha sonora, um tanto quanto diversificada, vai de Joy Division à Oingo Boingo, passando por Tears for Fears, e é ela que identifica a década na qual o filme é ambientado. O roteiro escrito por Richard Kelly, também diretor do filme, consegue transpor conversas inteligentes, conversas irônicas e momentos de total desespero, como na cena onde Donnie confronta Jim Cunningham (Patrick Swayze) sobre seus métodos não convencionais de psicologia e modo de vida.

Donnie Darko é considerado um filme Cult, talvez seja porque os filmes do mesmo gênero de sua época não sejam bons o bastante quanto este ou porque o filme é tão bom que não interessa gênero, elenco, diretor, época, etc. Eu gosto de acreditar que é pela segunda razão.

Donnie: “Por que você usa essa estúpida fantasia de coelho?”
Frank: “Por que você usa essa estúpida fantasia de humano?”

Nota: 10

4 comentários:

  1. Eu tenho a sensação de que é um tipo de filme que eu teria medo depois de assistir (sou medrosa pra caramba! va)

    Mas eu adoro filmes assim! Inteligentes ao extremo e foi isso que eu percebi desse filme pela sua resenha! Fiquei com vontade de assistir! =)

    ResponderExcluir
  2. Adoro este filme, uma obra-prima realmente intrigante.

    http://cinelupinha.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Muita gente inteligente elogia este filme.
    Sinal de que ele realmente valer a pena.
    Valeu a dica.
    Até mais.

    ResponderExcluir